domingo, 9 de agosto de 2015

Os últimos filmes que eu vi #13

1- Viagem à Lua (Georges Méliès, 1902)
Viagem à Lua
O curta, até onde sei, é o primeiro filme de ficção científica. Como o título explica, é a história de um homem que vai até a Lua. É claro que, considerando a época, os efeitos especiais são toscos, mas é interessante observar a criatividade dor Méliès e ver os primórdios do cinema. Avaliação: 3,5/5
2- A pequena loja de suicídios (Patrice Leconte, 2012)
A pequena loja de suicídios
É uma animação de humor negro, retratando a história de uma família que tem uma loja de artigos para suicídios — venenos, cordas, armas… Isso é considerado normal para a sociedade mostrada pelo filme, em que todos vivem tristes. Tudo corre bem com a loja, até que os pais têm um filho que nasce feliz e questiona o modo de viver deles. A pequena loja de suicídios é um musical, mas eu, que não sou das maiores fãs do gênero, não cheguei a me incomodar com a cantoria. A animação é bem interessante do ponto de vista do meu senso estético e a história prendeu a atenção, mesmo que eu não tenha gostado muito do final. Fiquei curiosa para ler o livro que inspirou o filme. Avaliação: 3,5/5
3- Era uma vez em Tóquio (Yasujiro Ozu, 1953)
Era uma vez em Tóquio
Eu tinha vontade faz tempo de ver um filme do Ozu, então quando Era uma vez em Tóquio passou em uma mostra de cinema no Centro Cultural São Paulo não pude deixar de ir. O filme conta a história de uma família, focando em quando os avós vão visitar os filhos em Tóquio. O enredo é bem simples e é a simplicidade que nos conquista, facilitando a nossa identificação e empatia com alguns dos personagens. Mesmo sendo um filme lento, ele conseguiu prender a minha atenção. Um ótimo filme para interessados pela cultura japonesa. Avaliação: 4/5
4- Anina (Alfredo Soderguit, 2013)
Anina
Achei esse filme por acaso na HBO e decidi assistir, porque gosto de ver animações de países diferentes, fugindo um pouco dos grandes estúdios de sempre. Anina é uma produção da Colômbia e do Uruguai e conta a história da garota homônima, que sofre na escola por ter um palíndromo como nome. Aos poucos, ela aprende a se aceitar e a aceitar os outros. O filme é bem infantil e não sei se agrada os mais velhos; o enredo é bem simples, e me lembrou de desenhos do Discovery Kids. Mas, como gostei do traço da animação, isso compensou a falta de inventividade da história. Avaliação: 3/5
5- Sharknado (Anthony C. Ferrante, 2013)
Sharknado
Minha irmã participa de um clube de livros que também discute filmes e o selecionado do mês era Sharknado. Claro que eu assisti com ela, porque não poderia perder a oportunidade de ver uma obra de arte tão incrível. Só que não. Achei que o filme seria tão ruim que é bom, mas acabou que é só ruim mesmo. A ideia e o final são incríveis, mas fora isso o resto é chato. Não é cômico o suficiente e nem dá medo. Quem sabe se ele não tivesse virado cult ou eu tivesse visto na época que foi lançado, quando ainda não se falava tanto a respeito, eu teria gostado mais, mas as expectativas, para variar, eram altas, e eu imaginava algo muito mais trash do que foi. Avaliação: 2/5

Um comentário:

  1. Estou me encolhendo em um canto escuto no momento porque de tantos filmes que parecem ser super legais, eu só vi Sharknado haha
    Confesso que gosto do filme porque fez eu dar boas risadas e depois de vê-lo, eu ouvi um podcast sobre o filme que me fez dar tanta risada e consequentemente gostar mais do filme.
    Não conhecia alguns dos filmes, mas estou doida para ver A Pequena Loja de Suicídios há algum tempo já.

    Beijos
    http://aluafoiaocinema.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir